O Cordel em Sergipe

Por Victor Limeira

Joelson Santana Cabral (36) é o segundo filho dos sete do senhor João Firmino Cabral (71), que é conhecido por ser o maior cordelista do estado de Sergipe em atividade. Ele cresceu ouvindo e lendo as histórias escritas pelo pai. É dele a missão de abrir todas as manhãs a única barraca do Mercado Antônio Franco (horário de funcionamento: das 09 ás 17 horas) no centro de Aracaju, destinada a literatura de cordel.

João Firmino (Foto: Luciana Almeida)

Nascido em Itabaiana no ano de 1940, João Firmino aprendeu a ler praticamente sozinho, ouvindo as leituras do seu mestre Manoel D’Almeida Filho. Aos dezessete anos escreveu seu primeiro folheto, uma profecia do Padre Cïcero.

O Cordel tem temáticas geralmente relacionadas ao sertão e a vida da população nordestina, com abordagem satírica, organizadas em estrofes rimadas em redondilhas, ilustradas com xilogravura (técnica de gravura na qual se utiliza madeira como matriz e possibilita a reprodução da imagem, sobre papel ou outro material adequado) e penduradas em um varal de corda. Essas características definem o cordel brasileiro.

 

 

 

     João Firmino há 55 anos vem elevando a cultura nordestina, mais de 200 obras publicadas, reconhecimento fora do estado e ainda assim o filho do ilustre artista da terra sente muito pela desvalorização do povo de Sergipe pelo oficio do pai. “A gente aqui vende mais para turista, o pessoal daqui mesmo não leva muito, só estudantes de escolas ou universidades”. Além disso, ele questiona a falta de incentivo público: “A única coisa que eles fazem aqui é nessa rua da cultura”.

MÍDIA E CORDEL

    A relação do cordel com a imprensa é muito antiga. Ele a acompanhou desde o seu surgimento e desenvolveu-se com ela, passou a ser impresso e digitalizado, pode ser colorido ou preto e branco e até a substituição da xilogravura pela fotografia, sem descaracterizar a sua identidade. Enganam-se quem pensa que o cordel é algo peculiar da cultura nordestina, relatos indicam que ele surgiu na Península Ibérica onde cordão era chamado de cordel e veio para o Brasil através dos nossos colonizadores. Aqui ele adquiriu outras especificidades.

 CORDEL ENCANTADO

   Personagens fora das tramas cinematográficas e televisivas, histórias amarradas com cordão, herméticas, metrificadas e sinestésicas. Sentimentos pueris, simples, mais claros e menos “Hollywoodianos”. Um Brasil esquecido e pouco relativizado, esse é o  interior do nordeste  brasileiro e agora cenário da nova novela das 18:00 horas da TV Globo “Cordel Encantado”.

  Em Sergipe as gravações aconteceram no interior do estado na pequena cidade de Canindé do São Francisco, localizada há aproximadamente 200 km de Aracaju nas margens do rio e dos seus cânions.

    A trama da novela não aborda e nem é fidedigna ao gênero literário que a denomina, contudo, ela trás muitos elementos que estão presentes nessa narrativa como: o “sertão” e o “cangaço”.

     A refutação feita ao cordel para o título deve ser remetida a construção cultural do povo nordestino. A terminologia “encantado” é utilizada para designar monarquia e afins. Porém isso gerou certa frustração do cordelista João Firmino, ele acha que a novela não retrata o cordel e afirmou esperar mais dela.

 Ainda assim “Cordel Encantado” está aumentando a procura por este tipo de literatura.As pessoas procuram “Cordel encantado”, mas ele ainda não chegou ás bancas, então levam outro cordel” diz o filho do ilustre sergipano.

   Muitas pessoas desconheciam a arte ou a consideravam ultrapassada, o que é uma inverdade, já que a literatura de cordel passou por constantes renovações gráficas e de conteúdo. As temáticas estão sendo atualizadas, não faz mais tanto sentido falar sobre cangaço ou a escravidão, só como arquivo histórico. A questão da identidade vem se perdendo porque as pessoas não se enxergam mais como personagens. Hoje já se podem encontrar até cordéis que falam sobre a reforma ortográfica, por exemplo.

Foto: Luciana Almeida

 VER TAMBÉM:

http://www.overmundo.com.br/overblog/joao-firmino-cinco-decadas-de-http://www.infonet.com.br/silviooliveira/ler.asp?id=97375&titulo=silviooliveirahttp://pt.wikipedia.org/wiki/Jo%C3%A3o_Firmino_Cabral

About these ads
Esse post foi publicado em Cultura&Entretenimento. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para O Cordel em Sergipe

  1. Carla disse:

    EU ACHEI BASTANTE INTERESSANTE!
    E ME AJUDOU COM MINHA PESQUISA.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s